Não controle suas emoções


Vejo cada vez mais anúncios com o slogan "aprenda a controlar suas emoções", ou "viva sem sofrer". Inclusive já tive pessoas me pedindo para que eu ajudasse a controlar suas emoções. Mas, o que é controlar as emoções? É evitar sentir as emoções quando não quiser sentir? Uma emoção boa é uma emoção controlada, quieta, que não se emociona? E isso é o que julgamos como "bom"?

Se uma pessoa está sentindo uma tristeza, uma raiva, muito estresse ou ansiedade, pode ser que sinta vontade de evitar tais emoções, pois tais emoções não são agradáveis, por conta disso faz sentido querer "controlar suas emoções", no sentido de evitar elas. Porém, a emoção é algo que afeta nosso corpo, não há como evitar um sofrimento já experimentado, e evitar não é o mesmo que lidar com o sofrimento.

Sofremos emocionalmente por conta de experiências ruins e difíceis que atravessamos. Imagine um jovem que acabou de se formar e conseguir um emprego numa grande empresa que lhe oferece grandes oportunidades de crescimento desde que ele se dedique como esperado. Inicialmente, ele se sente animado e disposto a dar o melhor de si para se desenvolver profissionalmente.

Após entrar no emprego, surgem novas obrigações, seu patrão começa a pedir que ele faça uma hora extra por dia, depois pede que ele realize outras atividades a mais, depois pediu a dobra a quantidade de trabalho que ele realizava, pedindo que ele fosse mais produtivo. O jovem recebe inicialmente essas solicitações como novos desafios, e se esforça para demonstrar seu empenho e cumprir suas "obrigações".

Com o passar do tempo esse jovem começa a sentir dores no corpo, cansaço, acorda precupado com o horário para chegar no serviço, sente seu coração bater acelerado em alguns momentos durante o dia, tem dias que acorda no meio da noite preocupado com suas tarefas pendentes. Apesar das dores e do estresse, ele continua no trabalho e tenta ao máximo se empenhar em suas atividades, buscando cumprir com suas metas estabelecidas.

De repente, ele começa a sentir que passa mais tempo no emprego do que em qualquer outro lugar, além disso, começa a sentir que não lhe resta momentos para fazer nenhuma outra atividade, que não se dedica a nenhuma atividade que antes gostava, pois o emprego lhe consome totalmente. Começa a se sentir então cansado, desmotivado e, com tantas atividades, se sente sobrecarregado e sua vida começa a perder o sentido.

Seu cansaço e decepção com o emprego fazem com que se sinta estressado e ansioso. Por vezes ele se sente também triste e decepcionado, por acreditar que deveria conseguir alcançar as meta sesperadas. Ele então continua indo ao trabalho e tentando se esforçar, pensa consigo mesmo "foi tão difícil conseguir este trabalho", "o salário aqui é bom", e "tenho oportunidade de crescer na empresa".

Porém diante da dor e do sofrimento emocional, ele então pesquisa no google o que fazer com seus sofrimentos, e encontra um anúncio dizendo "controle seus sentimentos!", outro "seja mais produtivo no trabalho", e outro "Deus ajuda quem cedo madruga". Ele para, pensa, e conclui que então deve aprender a controlar seus sentimentos e se dedicar mais ao trabalho, afinal é o que todos fazem, não?!

Ele encontra uma porção de dicas, entre elas: "quando se sentir estressado, respire fundo e conte até dez", "se estiver ansioso, pratique meditação", "termine os trabalhos que começou, se esforce e você vai conseguir". Ele começa então a seguir as dicas, e em pouco tempo percebe uma melhora em seu desempenho profissional.

Mas ainda assim ele não se sente bem consigo mesmo, passa mais dias estressados e noites mal dormidas. Quando chega do trabalho não se sente disposto nem para fazer a janta, pede alguma comida pronta e dorme direto no sofá, sem nem perceber o dia já foi, e logo chega outro. E a rotina segue, pois acredita que, com o passar do tempo, um dia ele será "recompensado", com muito dinheiro e um bom cargo, mas esse dia não chega...

Então eu pergunto, ele está conseguindo "controlar" suas emoçẽos de estresse, cansaço e ansiedade, com as dicas? Ou está cada vez mais se atolando no trabalho, e não lhe resta tempo nem espaço para lidar com seus sentimentos, e quando percebe o que está a sentir logo faz as atividades para evitar os sofrimentos. Porém essa evitação é passageira, pois os sofrimentos voltam.

E assim segue sua vida dedicada ao trabalho, cada vez mais aumentando sua jornada profissional e se desenvolvendo na empresa. Ao mesmo tempo mais distante de si mesmo, descuidando de sua saúde e de seu corpo. E isso é vida? Que vida é essa? Ele está bem porque aprendeu a "controlar" suas emoções? Viver assim é estar bem? Quem se beneficia com isso, a pessoa ou a empresa?

Entrar em contato

Envie uma mensagem para mais informações..