O que fazer com a ansiedade?

Ansiedade é um sentimento que atravessamos em diversos momentos de nossa vida, seja quando estamos preocupados, entusiasmados ou com um medo intenso sobre algo que para nós é importante, que pode ou não acontecer.

Pode ocorrer em conjunto com outros sentimentos como o estresse, o nervosismo, a angústia e a tensão. Muitas vezes está relacionada com algo que ainda não aconteceu ou que gostaríamos que acontecesse, juntamente com o desejo de controlar ou nos certificar que aconteça tal como esperamos, o que pode nos fazer sentir inseguros, preocupados, desesperados e até entristecidos.

Possíveis causas da ansiedade

  • -Constantes preocupações com o futuro;
  • -Cobranças internas e externas;
  • -Altas expectativas consigo mesmo, com pessoas ou lugares;
  • -Medo de lidar com situações novas ou inesperadas;
  • -Expectativas com um ideal de "perfeição" a ser atingido;
  • -Tentativa de ser como não somos;
  • -Sentimentos de raiva ou incômodo reprimidos;
  • -Rigidez excessiva, inflexibilidade;
  • -Traumas ou situações mal resolvidas no passado.

Alguns dos sintomas da ansiedade

  • -Preocupações, receios ou medos excessivos;
  • -Nervosismo, estresse, angústia constantes;
  • -Batimentos cardíacos acelerados;
  • -Dores e tensões musculares no corpo, costas e ombros;
  • -Dificuldades de concentração em uma atividade específica;
  • -Sentimento de falta de ar ou respiração ofegante;
  • -Roer as unhas, sentir tremores ou falar muito rápido;
  • -Agitação e balanço das pernas e dos braços;
  • -Irritabilidade e dificuldade para dormir.

Sugestões para reduzir a ansiedade


1. Perceba seus sentimentos

A ansiedade pode ocorrer quando não conseguimos perceber bem o que estamos sentindo. Por vezes confundimos a ansiedade com raiva, estresse, angústia, expectativa e outros sentimentos. Quando percebemos nossos sentimentos, passamos a compreender melhor o que realmente estamos atravessando e podemos fazer algo com relação. Perceber é o primeiro passo para fazer algo! Procure perceber como você está se sentindo no seu dia-a-dia, tente perceber em que momento começou sentir ansiedade ou em quais momentos você sente mais ansiedade. Aconteceu algo que o fez sentir assim? Como foi que aconteceu? Como você se sentiu no momento? Qual foi sua reação? Como isso te afeta ainda hoje?


2. Expresse seus sentimentos

Expressar nossos sentimentos é um processo que gera alívio e rápida redução da ansiedade. Quando comunicamos o que sentimos, colocamos para fora o que nos exerce pressão dentro, o que nos faz sentir mais leves e tranquilos. Há várias maneiras para expressar o que sentimos: podemos anotar o que estamos sentindo num caderno, pegar tinta ou lápis coloridos e fazer um desenho, cantar uma música que gostamos ou tocar um instrumento musical sem nos preocupar com tom, estética ou convenções musicais. Enfim, encontre um meio que se sinta a vontade para se expressar e coloque os sentimentos para fora!


3. Faça uma coisa por vez

Se estiver com muitas atividades para fazer e muitos pensamentos surgindo, procure primeiramente se acalmar e se dedicar a uma das atividades por vez. Quando nos preocupamos com muitas coisas, dificilmente encontramos meios para lidar com cada uma delas. Se dermos atenção a cada uma, por vez, poderemos ir resolvendo aos poucos, e em pouco tempo tudo estará resolvido! Uma maneira de fazer isso é anotar num papel tudo o que está pensando em fazer ou precisa resolver, organizar as anotações por prioridades, e resolvendo o que é mais necessário (e possível) primeiro, deixar os outros itens para depois.


4. Aprecie o momento presente

Observe o que está acontecendo no momento presente, perceba o que está vivenciando neste exato momento: onde você está? O que está acontecendo? Quais sons você escuta? Quais odores? Há pessoas em seu redor? Como elas estão? O que elas estão fazendo? E você, como está? O que está fazendo? Há uma janela? Qual a vista da janela? Cada momento de nossa vida é único e nunca se repete. Se vivemos todo o tempo pensando no que pode nos acontecer, deixamos de aproveitar o que realmente está nos acontecendo, portanto pode ser muito valioso perceber melhor e aproveitar o momento presente!


5. Abandone ideais de perfeição

Muitas pessoas sofrem por tentar viver uma vida "perfeita" ou muito "idealizada", tendo como modelo de perfeição a vida de outras pessoas, ou melhor, o "lado bom" da vida das outras pessoas. Quanto mais tentamos viver uma vida "perfeita", mais exigimos de nós mesmos e dos outros, algo que muitas vezes não temos disponível no momento, acabamos nos cobramos e cobrando os outros. Viver é atravessar momentos alegres e satisfatórios, mas também momentos tristes e difíceis. A vida acontece justamente no equilíbrio e contraste entre o que desejamos e o que acontece, e nem sempre as coisas acontecem do modo como esperamos. Tente buscar expectativas mais próximas do que é possível no momento e nas condições que você está agora, novas possibilidades surgirão depois.


6. Tente ser mais flexível

Nem tudo na vida deve ser levado a ferro e fogo. Se você lidar de maneira rígida com a vida, certamente ficará muito desapontado e irritado quando algo "sair dos trilhos"... A vida não é uma obrigação a ser seguida à risca, é comum que aconteçam mudanças de planos e imprevistos, e não há como prever tudo o que vai nos acontecer. A partir do momento que nos colocamos mais flexíveis, passamos a aproveitar mais a vida e curtir os acasos, ao invés de nos lamentar por eles!


8. Valorize a si mesmo(a)

Quando nos preocupamos muito com a opinião dos outros, deixamos de viver a nossa vida para viver o que os outros esperam de nós. Agindo assim, além de nos afastar de nós mesmos, também gastamos muita energia tentando atender a expectativas alheias, que nem sempre condizem com o que desejamos para a nossa vida. Tentar ser o que não somos é um desrespeito para com a pessoa que somos. Só há uma pessoa que pode saber o que é melhor para você, e essa pessoa é você mesmo, portanto valorize a pessoa que você é e suas potencialidades.


9. Não tenha medo de errar

O erro faz parte de nossa aprendizagem e nos torna melhores, como diz o ditado “é caindo da bicicleta que se aprende a andar”, poderia se dizer “é errando na vida que se aprende a viver”. Estamos a todo momento fazendo escolhas, para fazer boas escolhas precisamos de experiências. São nossas experiências que nos permitem avaliar se uma coisa que fizemos foi boa ou ruim, se devemos prosseguir ou fazer de outra maneira. Não há como fazer tudo sempre certo, os erros fazem parte da vida, e de certo modo até fazem parte dos acertos. Portanto, valorize seus erros e aprenda com eles!


10. Leve vida de seu modo

Não se ocupe tanto com a opinião dos outros, cada pessoa tem uma visão de mundo e deseja que as outras pensem e façam as coisas de sua maneira. Nós não estamos no mundo para corresponder com as expectativas alheias, mas para viver a nossa vida de nossa maneira. Muitas pessoas podem não compreender suas escolhas e buscas na vida, mas não tem problema não é a vida delas, é a sua. Portanto aceita a si mesmo e leve a sua vida de sua maneira!


11. Pratique atividades físicas

Praticar atividades físicas auxilia na redução da ansiedade, pois libera endorfina e serotonina, que produzem a sensação de bem estar. A atividade física também favorece a saúde e a recreação, sua prática regular e orientada reforça a musculatura e o sistema cardiovascular, aperfeiçoando habilidades, estimulando o sistema imunológico, ajudando a prevenir doenças, moderando o colesterol e prevenindo a obesidade. Você pode fazer diversas atividades, como caminhada, corrida, pular corda, aeróbica, dança, natação, academia, pedalar, ou praticar esportes como tênis, vôlei, futebol, basquete, entre outros.


12. Dedique um tempo para você

Separe um momento só para si, faça um relaxamento, exercite respirar lentamente, praticar meditação, yoga ou tai chi. Todas essas atividades também podem colaborar para a redução da ansiedade. A prática do relaxamento e da meditação auxiliam na diminuição da aceleração cardíaca, possibilitando uma respiração mais tranquila, proporcionando uma sensação de relaxamento corporal, calma e atenção. Você pode ir para um lugar tranquilo, ficar numa posição confortável e simplesmente relaxar, deixando de lado as preocupações e os afazeres, pois é um tempo para você e sua saúde.


13. Conheça mais sobre si

Procure se conhecer mais profundamente, entenda melhor sua história de vida, as dificuldades que atravessou, suas potencialidades, reveja suas experiências internas e desenvolva uma melhor percepção sobre seus sentimentos. Você pode refletir sobre o que está vivendo e o que viveu e tomar nota numa caderneta para depois ler, tentando perceber melhor como se sente em cada situação, e também pode procurar um psicoterapeuta. A psicoterapia é uma das melhores ferramentas para se conhecer e se entender mais profundamente.


14. Estude sobre a ansiedade

Leia textos, artigos, livros e poemas sobre a ansiedade, assista vídeos e filmes relacionados, tente entender melhor como ela se relaciona consigo mesmo e quais os diferentes métodos para lidar com a ansiedade. Existem diversas teorias e cada uma entende a ansiedade por uma ótica, conhecer as teorias pode ser útil para compreender a ansiedade por outros pontos de vista, talvez um deles faça mais sentido para você e te ajude a se entender melhor e lidar de maneira mais saudável com a sua ansiedade. Não existe uma única explicação ou uma única saída, essa apresentação oferece algumas possibilidades.


15. A ansiedade nem sempre é ruim

Entenda que nem sempre a ansiedade é algo ruim, pois ela nos motiva a agir, a nos colocar em movimento, a experimentar novas ações. A ansiedade nos gera um incômodo que nos solicita uma ação, uma nova atitude criativa e criadora de novas possibilidades. Nos faz sair de uma posição de conforto para nos desenvolver, conhecer novos caminhos, aprender mais sobre nós mesmos e sobre a vida! Para reduzir a ansiedade o primeiro passo é perceber que estamos ansiosos, o segundo é encontrar meios para lidar com ela, depois disto basta colocar em prática.


16. Procure ajuda profissional

Se não se sentir à vontade para fazer as atividades, ou se não encontrar melhoria, procure ajuda! Tente conversar com amigos e conhecidos, pessoas com as quais você se sente à vontade ou tem intimidade, compartilhe sua situação e peça apoio. Faça psicoterapia, é um processo que auxilia a nos conhecer mais profundamente, compreendendo melhor nossos sentimentos e pensamentos e encontrando meios para lidar com as dificuldades que atravessamos.

“A vida não é um problema a ser resolvido, mas uma realidade a ser experimentada.”
(Sören Kierkegaard)

Entrar em contato

Envie uma mensagem para mais informações..